China aprova testes em humanos de duas vacinas experimentais contra a Covid-19
As vacinas estão a ser desenvolvidas pela sede de Pequim da empresa Sinovac Biotech e pelo Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan.

A China aprovou, recentemente, a testagem em humanos de duas vacinas experimentais desenvolvidas para combater a pandemia da Covid-19, avança a agência mediática estatal chinesa Xinhua, esta terça-feira.

De acordo com a Reuters, as vacinas estão a ser desenvolvidas pela sede de Pequim da empresa Sinovac Biotech, listada na Nasdaq (mercado bolsista norte-americano), e pelo Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan, empresa afiliada do Grupo Farmacêutico Nacional da China (instituição governamental).

No dia 10 de abril, última sexta-feira, a revista científica “Nature” contabilizava já 115 vacinas candidatas contra a doença infecciosa respiratória Covid-19, das quais 78 estão ativas e cinco em fase de ensaios clínicos.

Das 115 vacinas candidatas, 37 não foram confirmadas como estando em situação ativa por falta de informação disponível. Entre as 78 vacinas candidatas ativas, 73 encontram-se em fase exploratória ou pré-clínica. As restantes cinco estão em ensaios clínicos, isto é, a ser testadas em pessoas.

A primeira vacina candidata contra a Covid-19 começou a ser testada, com uma "rapidez sem precedentes", a 16 de março, nos Estados Unidos, depois de ter sido publicada, a 11 de janeiro, a sequência genética do coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença respiratória aguda.

O novo coronavírus (família de vírus) foi detetado em dezembro, na China, onde começou a pandemia. A doença já matou mais de 119 mil pessoas em todo o mundo e o número total de casos confirmados ultrapassa agora os 1.920.000.